Homenagem ao Jovem Nerd

Lambda Lambda Lambda Nerdixxxxxxxxxxxxs!!! , de volta por aqui hoje farei um post um pouco mais pessoal que envolve desde contar um pouco de minha história e sua relação com o Jovem Nerd e a criação deste site.

Como todos bem sabem sou um nerd, hoje em dia não sei exatamente o que é isso, mas vou ficar com a definição do Wikipedia (é um termo que descreve, de forma estereotipada, muitas vezes com conotação depreciativa, uma pessoa que exerce intensas actividades intelectuais, que são consideradas inadequadas para a sua idade, em detrimento de outras atividades mais populares. Por essa razão, um nerd muitas vezes não participa de atividades físicas e é considerado um solitário pelas pessoas. Pode descrever uma pessoa que tenha dificuldades de integração social e seja atrapalhada, mas que nutre grande fascínio por conhecimento ou tecnologia), mas devo acrescentar que hoje em dia a conotação negativa da palavra nerd está bem menos exaltada.

Além de nerd, também sou músico e professor, minhas paixões sempre foram os “assuntos nerds”, em especial RPG, literatura fantástica, e música (principalmente metal, clássica e trilhas sonoras). Tenho 31 anos, quase 32, peguei a fase dos cavaleiros do zodíaco na TV manchete, a ascensão e queda de Vampiro: a Máscara, assisti Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei na estréia no dia de natal, mas além de tudo isso, assim como acredito todo nerd, tinha sempre uma grande vontade de poder viver e trabalhar com os assuntos que sempre gostei, o que no Brasil é realmente complicadíssimo, então me aparece o Jovem Nerd.

Inicialmente minha relação com o Jovem Nerd não começou com os Nerdcasts, e sim com a Batalha do Apocalipse de Eduardo Spohr, até então eu comprei o livro sem saber o que era, de quem era, qual o contexto que foi criado e comercializado. Eu simplesmente li o livro e amei, descobri que tinha uma versão mais completa com imagens e textos extras, fui atrás, comprei, dei para um amigo a minha antiga versão “normal”, e divulguei o livro (o qual ainda farei uma crítica aqui). Assim continuei minha saga com os livros de Eduardo, Filhos do Éden e Anjos da Morte.

Então, descobri o site Filosofia Nerd (http://filosofianerd.blogspot.com.br/) do Eduardo Spohr e coloquei nos meus bookmarks, lá estava um link para o Jovem Nerd (http://jovemnerd.com.br/) que então conheci, isso devia ser por volta de 2011.

Até meados de Junho de 2014 não sabia nem o que eram podcasts (eu sei que estava por fora do mundo, admito), mas descobri o que eram com o Nerdcast (http://jovemnerd.com.br/categoria/nerdcast/). Então me apaixonei, não pelo Allotoni e o Azaghal, mas por esse novo mundo que até então me era desconhecido e que ao poucos me foi apresentado pelo nerdcast.

Comecei a ouvir quase que sem parar o nerdcast, já estou a quase 3 meses ouvindo, e ainda não consegui ouvir todos. Sendo um deleite conhecer aos poucos a vida e o conhecimento desse grupo de amigos nerds, comecei a ver que eles têm uma história de grande sucesso e que me inspirou a correr atrás dos meus sonhos, estes que envolvem tudo que é nerd. Nesse contexto foi criado o Apocalipse Nerd, num dia de grande impulso toda idéia pareceu vir do nada, mas no fundo sabia que uma semente que havia sido plantada há muito tempo germinou graças ao Jovem Nerd.

Pessoalmente tenho muito em comum com o Allotoni e Azaghal, a questão deles conhecerem bem a cidade de São Lourenço em MG, lugar que frequentei muito e poucas pessoas conhecem suas peculiaridades; neste site tenho um grande amigo como co-autor o felmota; o fato de terem se mudado para Curitiba (isso eu não sei porque), mas essa era uma vontade que apareceu há uns bons 2 anos; minha noiva ser carioca e tudo que falavam do Rio eu conseguia entender, e muitas outras coisas.

O mais engraçado de se ouvir os podcasts é que você começa criar uma relação de amizade com as pessoas que estão falando, isso é muito doido. Consegui observar a personalidade de cada pessoa que falava frequentemente nos podcasts, além do Allotoni e Azaghal, o Tucano, Bluehand, JP, Eduardo Spohr. E o mais doido foi observar a trajetória de sucesso deles; como conheceram o Paulo Coelho e o Silvester Stallone, como ajudaram o Eduardo Spohr a publicar a Batalha do Apocalipse, como fizeram sessões de RPG e deram vida com o Leonel Caldela em “A Lenda de Ruff Ghanor”, e como começaram a fazer um ótimo trabalho no Brasil sobre assuntos que muitos gostam e poucos têm coragem de trabalhar.

Cara isso é demais!

Gostaria muito de deixar meus mais profundos agradecimentos ao pessoal do Jovem Nerd, em especial Allotoni, Azaghal. E também ao Eduardo Spohr, pela maravilhosa literatura que criou.

MUITO OBRIGADO, pois acredito que sem vocês provavelmente não teria conseguido observar o caminho que agora decidi enfrentar e está me fazendo muito feliz. Existem momentos de grande mudança na vida, assim como o Paulo Coelho ao andar por Santiago e Compostela resolveu mudar seu paradigma, eu ao ouvir o nerdcast resolvi mudar o meu.

Sem palavras para agradecer…

Ramairá (Gehenna)…!!!

Blog Nerdices